Cirurgias Otológicas

A Cirurgia de Ouvido ou Otológica é uma sub-especialidade da cirurgia otorrinolaringológica, que se dedica ao tratamento cirúrgico das doenças de ouvido.

Timpanoplastia

Quando ela está indicada?

A Timpanoplastia está indicada nos casos de perfurações timpânicas. Nessas situações, além de alguma perda auditiva, a pessoa fica impedida de tomar banhos de piscina ou de praia normalmente, uma vez que a água pode “passar pela perfuração” e causar infecções. Em outros casos, os pacientes podem se queixar de secreção nos ouvidos sempre que ficam resfriados ou gripados.

Em pacientes com outras complicações clínicas, que não apresentem sintomas ou não desejam frequentar piscina ou praia, há a possibilidade de acompanhar o quadro clinicamente, sem cirurgia.

Benefícios da cirurgia:
Fechar a perfuração da membrana do tímpano, evitando novas infecções e melhorando a audição do paciente.

Mastoidectomias

Princípios e indicações:
As infecções crônicas de ouvido podem ser divididas didaticamente em três grupos:

1- Otite Média Crônica Simples: este termo se aplica àqueles pacientes com perfuração no tímpano, mas que conseguem deixar o ouvido seco, isto é, sem infecção por um longo tempo ou a infecção é fácil de ser tratada com medicamentos;

2- Otite Média Crônica Supurativa: são aqueles ouvidos que mesmo com medicamentos e cuidados não conseguem ficar sem infecção (supuração);

3- Otite Média Crônica Colesteatomatosa: onde já existe um colesteatoma no ouvido, que é basicamente o crescimento de pele dentro do ouvido, onde não deveria ter pele. O colesteatoma não permite um ouvido saudável e, com seu crescimento, outras estruturas próximas podem ser acometidas, como o labirinto (surdez, tontura e zumbido), o nervo facial (paralisia facial) e meningite ou abscessos cerebrais.

Quando temos as infecções da segunda ou terceira situação, temos que fazer uma cirurgia chamada Mastoidectomia, que pode ser feita com ou sem reconstrução do mecanismo de audição, dependendo da extensão da doença e da presença do colesteatoma.

Trata-se de um procedimento cirúrgico que consiste na remoção do tecido doente no ouvido, normalmente uma inflamação crônica ou um colesteatoma, através da abertura das células aéreas da mastóide. Essa cirurgia é indicada para o tratamento de sequelas da otite média crônica.

O que é a Estapedotomia?

A Estapedotomia é a cirurgia indicada para tratamento de muitos casos de otosclerose. No procedimento, nós removemos uma boa parte do estribo (o menor dos ossículos da audição, e o menor osso do corpo humano!) e o substituímos por uma mini prótese, normalmente feita de teflon ou titânio.

Indicação da Estapedotomia

A  Estapedotomia (ou Estapedectomia) está indicada para tratar casos de surdez condutiva por otosclerose (ou otospongiose) acometendo o estribo. Nos casos em que a cóclea é acometida pela doença, com consequente surdez sensorioneural, a estapedotomia normalmente não é indicada.

Quais são os benefícios da cirurgia?

A audição melhora bastante em cerca de 80-90% dos casos, permitindo a muitos pacientes que voltem a desempenhar normalmente suas atividades sociais, de trabalho, e estudo. Num percentual menor, o ganho auditivo pode ser abaixo do desejado.

Timpanotomia para Tubo de Ventilação

A Timpanotomia é o procedimento cirúrgico que consiste na colocação de um tubo de ventilação (dreno ou “tubinho”) na membrana do tímpano, tendo como objetivo proporcionar uma ventilação adequada no ouvido médio. A Timpanotomia é realizada através do próprio canal do ouvido (conduto auditivo externo) com o paciente sob anestesia geral. Com o auxílio de um microscópio, o cirurgião faz um pequeno orifício na membrana do tímpano e, então, “encaixa” o tubo de ventilação neste espaço. A Timpanotomia pode ser combinada com outros procedimentos como a cirurgia para remoção de amígdalas e adenóides (adenoamigdalectomia). A cirurgia tem duração média de uma hora e o paciente tem alta no mesmo dia.

As principais situações em que está indicada a realização da Timpanotomia para colocação dos tubos de ventilação são:

Presença de “catarro” no ouvido que não melhora com o tratamento convencional. (otite média serosa ou otite com efusão).

Infecções recorrentes do ouvido (otite média aguda de repetição)

Médicos que realizam as cirurgias otológicas:

Antônio Lobo de Rezende Neto – CRM 13965

Camila Jeber Garcia – CRM 48486

Celso Gonçalves Becker – CRM 17428

Cheng T Ping –  CRM 28733

Marcelo Carvalho Sanglard – CRM 31334

Romero Huascar Nascife Silva – CRM 7649

Sinval Pereira dos Santos – CRM 4591